Atendimento de Ocorrências Envolvendo Gás Refrigerado Amônia no Estado de Goiás: uma Padronização para a Sequência dos Atendimentos

  • Licurgo B. Winck Faculdade Senai Roberto Mange – Rua Professor Roberto Mange, nº 239, Bairro Jundiaí – Anápolis/GO
  • Aldo N.Cardoso Faculdade Senai Roberto Mange – Rua Professor Roberto Mange, nº 239, Bairro Jundiaí – Anápolis/GO
  • Wanderley V. Oliveira Faculdade Senai Roberto Mange – Rua Professor Roberto Mange, nº 239, Bairro Jundiaí – Anápolis/GO
Palavras-chave: gás tóxico., amônia., procedimento de emergência.

Resumo

O crescimento dos acidentes relacionados a produtos perigosos, no estado de Goiás, tem estreita relação com o aumento da produção industrial, o transporte e a utilização desses produtos. A amônia é amplamente utilizada em sistemas de refrigeração industrial local, nos quais ocorre o maior número de acidentes. Assim, o presente trabalho tem por objetivo propor um protocolo reunindo procedimentos e ações a serem aplicados no atendimento a ocorrências, envolvendo gás tóxico amônia no estado de Goiás. No levantamento dos procedimentos e ações propostos para utilização no atendimento a acidentes com amônia, foram pesquisados manuais de produtos perigosos, legislações, normas, relatórios, revistas, infometria, estatísticas e procedimentos relacionados ao manuseio e atendimento de ocorrências envolvendo amônia. Tais procedimentos norteiam as condutas dos bombeiros militares envolvidos nos cenários dessas emergências químicas, levando-se em conta e correlacionando os riscos oferecidos pela substância com o ambiente do acidente. O que possibilita aos militares respostas mais eficientes, mitigando a probabilidade de erros e proporcionando qualidade na atuação da instituição Bombeiro Militar.

Referências

ARAÚJO, G. M. Segurança na Armazenagem, Manuseio e Transporte

de Produtos Perigosos: Gerenciamento de Emergência Química. 2ª Ed.

Rio de Janeiro, 2005.

OLIVEIRA, W. V. Acidentes com produtos perigosos no estado de

Goiás: evolução e causas. 2011. Dissertação (Mestrado) – Programa

de Pós-Graduados em Ecologia e Produção Sustentável, Pontifícia

Universidade Católica de Goiás, 2011.

MAGALHÃES, M. F. A importância de uma aplicabilidade mais

efetiva doprocedimento operacional padrão (POP) no Corpo de

Bombeiros Militar doEstado de Goiás. Artigo Monográfico - Conclusão

do Curso de Formação deOficiais. Goiás, 2014.

IBAMA. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais

Renováveis. Relatório de acidentes ambientais, 2010.

SIAE/COB. Sistema Integrado de Atendimento a Emergência/Centro

Estadual deAtendimento Operacional de Bombeiros. Banco de dados

de acidente/incidentede produtos perigosos atendidos pelo Corpo de

Bombeiros Militar do Estadode Goiás no período de 2007 a 2016. Goiás,

MOB Nº. 04. Manual Operacional de Bombeiros/Procedimentos para

atendimentos de emergências com produtos perigosos. Goiás, 2016.

ANTT. Agência Nacional de Transporte Terrestre. Resolução nº 420,

de 12 de fevereiro de 2004. Aprova as Instruções Complementares ao

Regulamento do Transporte Terrestre de Produtos Perigosos. Diário

Oficial da União, 2004a.

DAVID, R. S. O perfil do transporte rodoviário de produtos perigosos

no Distrito Federal: Uma proposta metodológica. 2006. Dissertação

(Mestrado) – Centro de Desenvolvimento Sustentável, Universidade de

Brasília, 2006.

MAEPP. Manual de atendimento às emergências com produtos

perigosos. Coletânea de manuais técnicos de bombeiros. 1. Ed. V. 1. São

Paulo, 2006.

RUSSEL, J.B. Química Geral. 2ª edição. São Paulo: Makron Books,

USIQUÍMICA DO BRASIL LTDA – USIQUÍMICA. Ficha de

Informações de Segurança de Produtos Químicos: Amônia Anidra, 2014.

OLIVEIRA, Marcos de. Emergências com Produtos Perigosos.

Florianópolis, primeira edição, 2000.

HADDAD, Edson et al. Prevenção, preparação e resposta a desastres

com produtos químicos. Apostila da Companhia de Tecnologia de

Saneamento Ambiental (CETESB). São Paulo, 2002

.

NFPA 741.National Fire Protection Association. Recommended

Practice for Responding to Hazardous Materials Incidents, 2002

.

EPA. United States Environmental Protection Agency. Acute

Exposure Guideline Levels for Selected Airborne Chemicals, v.06, 2007

.

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO – Secretaria de

Inspeção do Trabalho (SIT) – Departamento de Segurança e Saúde no

Trabalho (DSST). Nota técnica nº 03/DSST/SIT: Refrigeração industrial

por amônia: Riscos, Segurança e Auditoria Fiscal. Brasília, 2004

.

CETESB. Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Relatório

de emergências químicas, 2009

.

ALMEIDA, E.V. Química Inorgânica Industrial - Amônia: método

Haber-Bosch. Universidade de São Paulo - Instituto de Química de São

Carlos, 2006

.

SFSH. Hazardous Substance Fact Sheet, Ammonia. NEW JERSEY,

NIOSH. National Institute for Occupational Safety and Health,

emergency response card the ammonia, 2003

.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de

Metodologia Científica. 6ª edição. São Paulo: Editora Atlas S.A, 2005

.

MDA. Minnesota Department of Agriculture, Fire Department

Response to Ammonia Releases, 2017

.

MASSINGHAM, Gordon; LAWRENCE, Detrick. Dave Binder,

Tanner Industries Mike Callan, Callan and Company Maurice Greiner,

Greiner Consulting, LLC. Jerry Grey, HazTech Systems, Inc. Mike

Hildebrand, Hildebrand & Noll Associates. 2008

.

TRANSCAER. Anhydrous Ammonia Training Anhydrous Ammonia

Properties, 2011.

MAYBECK, H. F. Firefighting and Anhydrous Ammonia, 1997.

CFRA, Chief Fire e Rescue Adviser. Fire and Rescue Service

Operational Guidance – Incidents involving hazardous materials. 1ª Ed.

England, 2012.

Publicado
2022-05-18
Como Citar
Licurgo B. Winck, Aldo N.Cardoso, & Wanderley V. Oliveira. (2022). Atendimento de Ocorrências Envolvendo Gás Refrigerado Amônia no Estado de Goiás: uma Padronização para a Sequência dos Atendimentos. Revista Processos Químicos, 16(30), 9-23. https://doi.org/10.19142/rpq.v16i30.639