Avaliação da Estabilidade, Segurança, Eficácia e Aceitação do Produto “Creme Protetor para a Pele Luva Química Grupo 3 Regeneração”

  • Nathalia P. Barbosa Instituto SENAI de Tecnologia em Alimentos e Bebidas. Escola SENAI Vila Canaã
  • Giselle V. G. Lopes Instituto SENAI de Tecnologia em Alimentos e Bebidas. Escola SENAI Vila Canaã
  • Patrícia de A. Moreira Instituto SENAI de Tecnologia em Alimentos e Bebidas. Escola SENAI Vila Canaã
  • Adriana A. de Carvalho Instituto SENAI de Tecnologia em Alimentos e Bebidas. Escola SENAI Vila Canaã
  • Christiane S. Almeida Instituto SENAI de Tecnologia em Alimentos e Bebidas. Escola SENAI Vila Canaã
Palavras-chave: EPI, creme de proteção, luva química

Resumo

O objetivo do estudo é avaliar a estabilidade, a segurança e a eficácia de um creme
protetor para as mãos em aerossol, a fim de verificar se o produto apresenta todas as
características necessárias para ser apresentado ao mercado consumidor e se atende
aos requisitos técnicos para ser validado pelo Ministério do Trabalho e ainda, se a
inovação proposta em formulação aerossol melhora a utilização do produto. Os ensaios
comprovaram que o Creme Protetor não é alergênico, não é irritante, é classificado
como Grupo 3, e ainda apresenta as características necessárias para ser apresentado ao
mercado consumidor.

Referências

Ali, S. A. Dermatoses ocupacionais. São Paulo: FUNDACENTRO/FUNDUNESP, 2001, 223.

Almeida, I. F.; Gaio, A. R.; Bahia, M. F. Hedonic and descriptive skinfeel analysis of two oleogels: comparison with other topical formulations. J Sens Stud. 2008.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 16276: Cremes protetores de segurança contra agentes químicos- Requisitos e métodos de ensaio. Rio de Janeiro, 2017.

Aust, L. B.; Oddo, L. P.; Wild, J. E.; Mills, O. H. Deupree, J. S. The descriptive analysis of skin care products by a trained panel of judges. J Soc Cosmet Chem. 1987, 38, 443-48.

Bacle, I.; Meges, S.; Lauze, C.; Macleod, P.; Dupuy, P. Sensory analysis of four medical spa spring waters containing various mineral concentrations. Int J Dermatol. 1999, 38, 784-86.

Brasil. Guia de estabilidade de produtos cosméticos. Órgão emissor: ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília, 2014.

Brasil. Guia para avaliação da segurança de produtos cosméticos. Órgão emissor: ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. 2003.

Brasil. Resolução RDC nº481, de 23 de setembro de 1999. Estabelece os parâmetros de controle microbiológico para os produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes. Órgão Emissor: Agência Nacional de Vigilância Sanitária ANVISA, 27 de set. de 1999.

Brito, A. S. R. Manual de ensaios toxicológicos in vitro. Editora da UNICAMP, Campinas, São Paulo, 1994.

Brown, T. Strategies for prevention: occupational contact dermatitis. Occupational Medicine. 2004, 54, 450-457.

Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 466 de 12 de dez. de 2012. Aprova as diretrizes e Normas Regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. 2012.

Corazza, M. Barrier creams: facts and controversies. Dermatitis. 2014, 25, 327–333.

Farmacopeia Brasileira, 5.ed. São Paulo: Atheneu, 2010.

Fernandez O, Canosa JM, Lazzarini R, Duarte I. Associação de urticária de contato e dermatite alérgica de contato com borracha. An Bras Dermatol. 2009;84:177-9. 7.

Hutchings CV, Shum KW, Gawkrodger DJ. Occupational contact dermatitis has an appreciable impact on quality of life. Contact Dermatitis. 2001;45:17-20.

Instituto Nacional de Controle de Qualidade e Saúde. Manual da qualidade: ensaio de irritação cutânea primária. Rio de Janeiro. 2001, 15.

Isaac, V. L. B.; Cefali, L. C.; Chiari, B. G.; Oliveira, C. C. L. G.; Salgado, H. R. N.; Correa, M. A. Protocolo para ensaios físicoquímicos de estabilidade de fitocosméticos. Rev Cienc Farm Básica Apl. 2008, 29, 85-100.

Lee, I. S.; Yang, H. M.; Kim, J. W.; Maeng, Y. J.; Lee, C. W.; Kang, Y. S. Terminology development and panel training for sensory evaluation of skin care products including aqua cream. J Sens Stud. 2005, 20, 421-33.

Mahmoud, G.; Lachapelle, J. M.; Neste, D. Histological assessment of skin damage by irritants: it’s possible use in the evaluation of a ‘barrier cream’. Contact Dermatitis. 1984, 11, 179–185.

Mendes, R. Patologia do trabalho. Atheneu, 2003, 2, 1444-1454.

Meding B, WrangsjoK, Jarvholm B. Fifteen-year follow-up of hand eczema: persistence and consequences. Br J Dermatol. 2005;152:975-80.

Montagner, Divanéia, Corrêa, Giane Márcia. Stability evaluation of cream with different pHs in urea. Rev. Bras. Farm., 85(3): 69-72, 2004

Mostosi, C.; Simonart, T. Effectiveness of barrier creams against irritant contact dermatitis. Dermatology. 2016, 232, 353-362.

Muñoz, A. M.; Civille, G.V.; Carr, B.T. Sensory evaluation in quality control. New York: Van Nostrand Reinhold. 1993, 240.

Parente, M. F.; Gambaro, A; Solana, G. Study of sensory properties of emollients used in cosmetics and their correlation with physicochemical properties. J Cosmet Sci. 2005, 56, 175-82.

Rogiers, V.; Balls, M.; Basketter, D.; Berardesca, E.; Edwards, C.; Elsner, P. The potential use of non-invasive methods in the safety assessment of cosmetic products - The report and recommendations of an ECVAM/EEMCO. ATLA. 1999, 27, 515-537.

Santos, H. Toxicologia: a garantia de cosméticos seguros. Cosmet Toilet. 2008; 20, 20-4.

Secretaria de Segurança e Saúde do Trabalhador. Portaria n. 26 de dez. de 1994. Classifica os Cremes Protetores como Equipamento de proteção Individual (EPI), com sua inclusão da Norma Regulamentadora. 1994.

Secretaria de Segurança e Saúde do Trabalhador. Portaria n. 452 de 20 de nov. de 2014, Anexo II. Normas Técnicas aplicáveis aos EPI. 2014.

Silva Júnior. Obtenção e avaliação de forma farmacêutica semi-sólida fitoterápica contendo extrato seco por nebulização de Simphytum officinale L. (confrei). São Paulo, Tese de doutorado, Programa de Pós graduação em Fármacos e Medicamentos, Universidade de São Paulo, 2006.

Wortel, V. A.; Wiechers, J. W. Skin sensory performance of individual personal care ingredients and marketed personal care products. Food Qual. Pref. 2000, 11, 121-27.

Zhai, H. Maibach, H. I. Barrier creams skin protectants: can you protect skin? J Cosmet Dermatol. 2002, 1, 20–23.

Zur Mühlen, A.; Klotz, A.; Allef, P.; Weimans, S.; Veeger, M.; Thörner, B.; Eichler, J. O. Using skin models to assess the effects of a pre-work cream. Methodological aspects and perspective of the industry. Curr Probl Dermatol. 2007, 34, 19–32.

Publicado
2019-08-27
Como Citar
Barbosa, N. P., Lopes, G. V. G., Moreira, P. de A., Carvalho, A. A. de, & Almeida, C. S. (2019). Avaliação da Estabilidade, Segurança, Eficácia e Aceitação do Produto “Creme Protetor para a Pele Luva Química Grupo 3 Regeneração”. Revista Processos Químicos, 13(25), 117-132. https://doi.org/10.19142/rpq.v13i25.490